TurfeOnline.com

  • Increase font size
  • Default font size
  • Decrease font size
Banner
Banner
Banner


Pilotado de André Luiz Silva dominou o GP Chanceller Oswaldo Aranha (G.III)

O talentoso fundista-arenático ROYAL FORESTRY (Macho, Castanho, 4 anos, do Paraná – Forestry e Bela Val por Val Royal), criado pelo Haras Belmont Ltda. e pertencente ao Stud Fenômeno, confirmou seu favoritismo no importante Grande Prêmio Chanceller Oswaldo Aranha 2020 (Grupo III – R$ 18.000,00) – para animais de 3 anos e mais idade –, que aconteceu Sábado, dia 28, no percurso de 2.200 metros, em pista de areia macia, do Hipódromo de Cidade Jardim.

Contando com eficiente condução do qualificado André Luiz Silva, o neto de Val Royal – irmão materno do craque Royal Ship (Midshipman), recentemente vendido ao turfe norte-americano –, permaneceu em terceiro durante o início da disputa, aguardando a reta de chegada para evoluir. Convidado por seu piloto, ROYAL FORESTRY evoluiu com intensidade na altura dos 300 metros finais para obter a sexta vitória nobre de sua campanha, garantindo pouco menos de 3 corpos de vantagem sobre o eficiente Olhar Mágico (6.Pioneering), de desempenho animador. O participativo potro Olympic Javier (3.Redattore) concluiu sua apresentação no terceiro lugar. Costa Rica (3.Public Purse) chegou em quarto, deixando General Bobby (4.Shanghai Bobby) no complemento do marcador. Em seguida, arremataram: Aigua e Natural Champion.

Perfeitamente treinado, no Paraná, pelo competente Júlio César, o vitorioso, ROYAL FORESTRY, registrou a marca de 2m14s366s.

FOTO: Porfírio Menezes – Jockey Club de São Paulo

ROYAL FORESTRY deixou sua marca em importante prova de Grupo III


 

Defensor do STUD NOVA REPÚBLICA brilhou intensamente

no Clássico Presidente Eduardo da Rocha Azevedo 2020 (L.)

Abrindo a reunião de Sábado, 28 de Março, no Hipódromo de Cidade Jardim, tivemos a disputa do Clássico Presidente Eduardo da Rocha Azevedo 2020 (Listed Race – R$ 11.000,00), destinado a produtos de 2 anos.

Quem ficou com o troféu nos 1.300 metros, em pista de areia macia, desta importante competição, foi o qualificado potro LE COURTIER (Macho, Alazão, 2 anos, do Paraná – Courtier e Adrya Di Job por Job Di Caroline), criado pelo Stud Don Juan e pertencente ao STUD NOVA REPÚBLICA.

Contando com precisa orientação do competente Fernando Larroque, que o manteve em segundo no princípio da carreira, o neto de Job Di Caroline avançou intensamente quando restavam 300 metros para o espelho para garantir o segundo êxito de sua campanha, sendo o primeiro na esfera nobre. Desprendendo-se dos rivais na hora da verdade, o favorito dos apostadores livrou pouco menos de 2 corpos de vantagem sobre o estreante Conta Cheia (2.Inexplicable), que inicialmente mostrou velocidade e procurou vender caro a derrota. Próximo, na terceira e última posição, finalizou Bright Sam (2.Uareademon). Companheiro de farda do ganhador, Chicks Court (2.Courtier) não foi apresentado.

O campeão, LE COURTIER, que atualmente ocupa o posto de líder da Geração 2017 entre os potros atuantes em São Paulo, é treinado, com absoluta competência, pelo excelente Paulo A.Carvalho. Os cronômetros foram travados na marca de 1m17s369s.

FOTO: Porfirio Menezes – Jockey Club de São Paulo

Talento de LE COURTIER falou mais alto entre os potros


 Acompanhe como foi a vitória de LE COURTIER no

Clássico Presidente Eduardo da Rocha Azevedo 2020 (L.)

Clique no link: https://www.youtube.com/watch?v=pIrnJoB_cao


 

SÃO PAULO. De ponta à ponta e sem dar chances às rivais, a qualificada potranca CARA HERMANA (2.First American e Vacaciones por Rahy), criada pelo Haras Old Friends Ltda. e pertencente ao Stud Indian Joe, deixou sua marca na edição 2020 da Prova Especial Euphorie (R$ 5.500,00) – para fêmeas de 2 anos –, disputada Sábado, dia 28, na distância de 1.200 metros, em pista de areia macia, do Hipódromo de Cidade Jardim.

Contando com qualificada orientação do talentoso André Luiz Silva, a neta de Rahy precisou de poucos metros após a largada para tomar conta do primeiro lugar. Mantendo sempre boa folga na dianteira, CARA HERMANA chegou ao espelho com confortável diferença, de 3 corpos e meio, sobre a grande favorita Fanny do Jaguaretê (2.Alcorano), de bom desempenho na competição. Bastante afastada, em terceiro, finalizou On My Own (2.Pioneering), deixando Flashlight (2.Que Fenômeno) no quarto e último lugar. Ours não foi apresentada.

Muito bem treinada pelo cuidadoso Lucas Quintana, a vitoriosa, CARA HERMANA, que brilhou na esfera clássica pela primeira vez, marcou o tempo de 1m11s157s.

FOTO: Porfirio Menezes – Jockey Club de São Paulo

CARA HERMANA: Descendente de First American ensinou o caminho às oponentes!


 

Haras e Studs


Publicidade

Banner
Banner
Banner

Apoio

Banner
Banner
ZooBIO.pt

Banner
Banner